Rizogênese

Este corte encontra-se na região apical da raiz de um dente na fase de rizogênese (raiz ainda em desenvolvimento).  No início da rizogênense a alça cervical sofrerá uma dobra no sentido horizontal e formará o diafragma epitelial e a baínha epitelial de Hertwig. O diafragma epitelial corresponde a porção final do encontro entre epitélio interno e externo, já a baínha epitelial é uma estrutura mais complexa e que será responsável pelo desenvolvimento dos tecidos de sustentação: cemento, ligamento periodontal e osso alveolar.

A baínha epitelila de Hertwig pode ser dividida em duas regiões:

. Baínha epitelial de Hertwig contínua (não fragmentada) que encontra-se contigua ao diafragma. Adjacentes a ela podemos encontrar células da papila (mais próximo do diafragma) e odontoblastos recem diferenciados.

. Baínha epitelila de Hertwig fragmentada: nesta porção percebe-se que a baínha perde a sua continuidade devido a fragmentação, o que dará passagem para as células do folículo se aproximarem da dentina recem secretada.

Na porção da baínha fragmentada, pode-se observar, próximo a dentina o início da formação do cemento e a presença de cementoblastos.

 

————————————————————————————————————————————————————————————————————

 

Nesta imagem ampliada pode-se ver os detalhes do diafragma epitelial: epitélio externo e interno juntos

 

————————————————————————————————————————————————————————————————————

 

Nesta imagem ampliada da região da baínha epitelial de Hertwig, pode-se perceber a diferença entre a contínua (não fragmentada) e a fragmentada.

————————————————————————————————————————————————————————————————————

 

Esta imagem, aumentada da bainha epitelal de Hertwig fragmentada, mostra com clareza as ilhas de células epitelilas que se formam após a fragmentação, que darão origem aos restos epiteliais de Malassez. Demonstra também as células do folículo dental que já se diferenciaram em cementoblastos e iniciam a secreção de cemento